Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

17.Jul.19

Os terríveis 5 anos

Teimosia é a palavra de ordem. Olho para aquele ser de metro e vinte e pergunto-me de onde virá tantos quereres. Entre o teatro com direito a lágrimas sentidas que nos partem o coração, a amuos constantes, a gestão da frustração passou a ser matéria para aulas práticas. Aos 5 anos parece-me que já tem plena consciência dos medos que tem, já percebe o que é perder em braços de ferro paternais, sente saudades no verdadeiro termo da palavra, tem prazer genuíno com certas comidas e é um verdadeiro adolescente infantil. 

Todos os dias são uma luta parental nisto de gerir estas emoções de teenager, no corpo de um menino acabado de ser bebé. Tento explicar-lhe o sentido da palavra "não" a cada realidade concreta em que a uso, para que ele entenda o porquê das coisas. Tento dar-lhe mimo mesmo quando já não o quer, porque a mãe é uma seca e a culpada de todos os males do mundo (dele). Tento ser paciente ainda que muitas vezes lhe sacuda o pó da roupa. Tento ser menos protectora porque já percebi que cair faz-lhe bem, e basta que esteja lá só para dar uma mãozinha para ele se levantar. 

Será sempre o meu bebé, o menino dos olhos grandes, rezingão com saídas tão boas como as de esta manhã "Gordo quando é que paras de crescer?" e ele espreguiça-se no sofá, todo esticado e responde na sua voz meiga "quer parecer-me que estou com o mesmo tamanho de ontem mãe".