Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

24.Abr.18

O mundo dos babetes

Aos dois meses e quando o peso do Matias teimava em não subir percebi que algo não estava bem. Apesar de ser um bebé bem disposto que comia bem, bolsava que era um disparate. Em jacto, logo a seguir a comer ou passado duas horas. 

O pediatra mandou mudar o leite para uma formula anti-refluxo e aguardar um mês. E assim fizemos apesar de a colecção de babetes ser gigante. 

Aprendi várias truques que partilho com vocês para quem tenha bebés com este problema:

- o bebé deve sempre arrotar na posição vertical e devemos mantê-lo nessa posição por mais de 20 minutos, o ideal é 1h (sim ouviram bem, 60 minutos)

- a fralda deve ser sempre mudada antes de eles comerem para não os deitar logo a seguir

- se por acaso fizer cocó a seguir a comer, paciência é aguentá-lo um pouco

- nunca brincar com eles na hora e meia a seguir a comer, se ele fizer sorrisos e arrufinhos, e sons fofinhos é ignorar, no passa nada

se quiserem levá-lo a passear ou esperam duas horas ou vão antes de ele comer, o que dado os intervalos que eles fazem vai dar ao mesmo

- ter um stock de 300 babetes disponíveis, proteger as nossas roupas com fraldas de pano ou assumir que andaremos com restos de leite seco nos ombros

- tentar respeitar os intervalos máximos mesmo que nos pareça que têm fome (quando choram temos tendência de achar que é logo fome e ir entupi-los com leite)

- reservar 3 horas da noite para alimentar, arrotar e mantê-los um pouco de pé

- dar o leite em biberão anti-cólicas daqueles com um furinho minúsculo para que não entre muito ar. Isto a juntar ao facto de as fórmulas anti-regurgitação serem mais espessas é contar com 50 minutos para beber o leite todo.

 

Hoje tenho um bebé a fazer 4 meses que já começa a ficar rechonchudo e com aqueles refegos que tanto gostamos, com tendência a assaduras.