Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

11.Set.18

Das férias com todos

Gostamos sempre de sair de Portugal em Agosto. Fazer uma viagem, de apanhar um avião. E se antes era a dois, uma escapadela aqui outra acolá apenas para perguiçar, passear e namorar, agora levamos os mini-nós. Já somos 4, e isto tem tanto de maravilhoso como de caótico. Se um já tem 4 anos e a coisa é mais fácil, o outro, nesta viagem à Ilha do Sal tinha 7 meses.

Sem contar com as 60 fraldas necessárias, trinta mudas de roupa, peluche com que dorme (que por sinal é maior que ele), musica para adormecer, fomos munidos com 14 refeições, boiões de fruta, pacote de leite, papa. Uma mala cheia de comida (e ainda bem que a água lá não é muito fixe), o ovinho, o carrinho, os brinquedos e petiscos do mais velho, um necessaire cheio de medicamentos e pomadas especiais (curioso que fui picada por uma abelha nos dois dias em que tive só com o meu marido e não levámos medicamentos nenhuns - Lei de Murphy nunca falha)...

É tanta coisa para eles que para nós vai o básico, não há cá grandes produções, uma trolley para os dois adultos e chega (confesso que me esqueci de todas as camisas do meu marido e o pobre homem teve de jantar todos os dias de t-shirt que é coisa que abomina). Tivemos 5 semanas fora de casa, eu ainda lá fui umas quantas vezes deixar roupa suja e fazer sopas para a mini criatura, mas eles não puseram lá os pés. Se há quem me chame de louca, há, se me perguntam se são férias, são mas não daquelas em que voltamos descansados, se eles não voltam completamente sem regras e rotinas, sim voltam, mas no fim do dia, nada apaga aquelas caras felizes, as pernas morenas do mais crescido e as olheiras dos mais velhos.