Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

03.Fev.20

Fevereiro

Gracinha
Que esta mês traga alguma tranquilidade. Detesto começar o ano com más notícias, inevitavelmente acabamos por associar sempre a anos maus. Tento desfasar-me dessa analogia, mas tenho medo. Sei contudo que não posso viver aterrorizada à espera do Mal a cada esquina. Gostava de um novo recomeço mas não sei por onde começar. Hoje estou melhor, é o primeiro dia em que me sinto normal. A sensação de ressaca passou, e já consigo não estar sempre a rever em modo filme os dias que se (...)
31.Jan.20

Tempo de recuperar

Gracinha
Mais do que tempo de recuperação, é preciso tempo para recuperar. E dizem que o tempo é o melhor amigo. Quem passa por isto perde a conta ao número de vezes que nos dizem que é super normal, que acontece, que estatisticamente as probabilidades aumentam conforme vamos tendo mais filhos. Quem passa por isto sabe que custa olhar ao espelho depois, que tivemos um bebé connosco, e que ele agora já não está. Sabe que custa o equilíbrio do corpo que passa de um estado "super hormonas" (...)
28.Jan.20

Vazia

Gracinha
No dia 24 à noite teria sido suposto fazer a indução do aborto em casa. De 23 para 24 não dormi, não me sentia capaz de fazer aquilo sozinha, o medo era demasiado grande, as dúvidas imensas. Como é que o meu corpo ia reagir ao Misoprostol, se já antes no meu primeiro filho quando me provocaram uma indução do parto com esse mesmo fármaco nada tinha acontecido? O que é que ia acontecer às minhas suturas uterinas (fruto de duas cesarianas) quando eu sabia que não induzem partos (...)
24.Jan.20

O melhor de mim

Gracinha
E sempre que o chão me faltar, a vida puxar-me o tapete, vou sempre lembrar-me que o melhor de mim são estes dois. Os outros pedaços que faltarem aprenderei a viver sem eles.
23.Jan.20

Enquanto espero, desespero

Gracinha
Enquanto esperava, desesperava, e eu não sirvo para isso. Ontem fez uma semana em que soube que havia qualquer coisa errada, e o meu corpo, alegremente continuava sem fazer qualquer trabalho. Desesperei a esperar e enviei mensagem ao médico a pedir para ir ter com ele hoje. Não queria continuar nisto. Consulta rápida apenas para me dar a receita do Misoprostol que iniciarei amanhã à noite em casa. E depois espero. Se durante a noite nada acontecer, volto a colocar mais dois (...)
18.Jan.20

Aborto retido

Gracinha
Depois da tempestade, mais chuva. Obstetra ligou-me ontem já ao fim do dia, as as opções são duas no caso de aborto retido: i) recorrer de imediato ao recurso de medicamentos que irão auxiliar a expulsão; ii) esperar que o corpo perceba que o embrião não apresenta batimentos cardíacos e ele próprio iniciar o trabalho de expulsão. Dizem que a natureza é sábia, mas o meu corpo já me falhou nestas questões reprodutoras. A primeira opção é mais pesada a nível físico, e (...)
17.Jan.20

O bebé que nunca conhecerei

Gracinha
Hoje vi o meu terceiro bebé, o filho que nunca chegarei a conhecer. Hoje soube que ele estava lá, já sem batimentos cardíacos, imóvel naquele saco imenso. Mantive-me fria como sempre, sem lágrimas, porque eu sou assim, e esta dor é só minha. Partilhei com muito pouca gente esta terceira gravidez, pelo que também não partilharei com muito mais esta perda. A dor  é estranha, quase platónica, a dor de ter um ser morto dentro de mim é esquisita. Sem saber muito bem quais os (...)
15.Jan.20

O terceiro

Gracinha
Foi no mês de Dezembro, perto do Natal que descobri que estava grávida, sentia-me esquisita, com sono e mal disposta. Sempre agoniada. Achei difícil, mas resolvi fazer o teste, num domingo, marido nas compras com os miúdos, cinco da tarde, e teste positivo. 2-3 semanas dizia o famoso "clearblue". Mandei um grande m**** e enviei whatsapp ao marido. Não sou boa em surpresas, encantos e floreados. E no fundo não queria. Queria e não queria. Sempre achei que seria incapaz de gerar de (...)
09.Dez.19

Viroses modernas - a saga continua

Gracinha
Tivemos um bicho novo giríssimo há duas semanas que tenho de partilhar. Então cheguei muito bem a casa e o meu filho mais velho tinha um escaldão na cara daqueles típicos de quem faz sky e protege os olhos e a boca. Isso mesmo. Achei estranho mas pensei: cieiro. E esqueci. Mas o meu marido que diz ser muito mais descontraído que eu foi googlar e deu-lhe entre muitas coisas, "escarlatina". Ah e tal mas se calhar tens razão não é nada, mas eu com aquele diagnóstico do Dr. Google (...)
05.Nov.19

As avós dos dias de hoje

Gracinha
A minha mãe não costuma ficar com os meus filhos, nunca ficou sequer com os dois em sua casa, o Matias já lá dormiu uma vez quando tinha quase um ano (tem quase 2). O Henrique dorme lá algumas vezes, principalmente no verão quando o tempo convida a mergulhos na piscina. A minha mãe assume que não tem paciência, que não brinca com eles, que eles fazem barulho, desarrumam e deixam cair migalhas. Migalhas chamam formigas e a minha mãe tem a paranóia das formigas. A minha mãe não (...)