Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

16.Set.19

8 anos

Juntos há 11 anos, casados há 8. A vida deu-nos um ao outro, quando nos cruzámos ao acaso numa passagem de ano. Na verdade não estávamos ali a fazer nada, o acaso engraçado que normalmente trás planos. Namorámos muito enquanto solteiros, e assim seguimos casados. Resolveste sair por um ano, vida de expatriado em Argel, enquanto eu em Lisboa me adaptava ao novo estado civil. Fizemos a mudança num Smart porque os os sonhos cabem em qualquer lado e era isso que tínhamos, tralhas zero. Fizemos a mudança no dia em que decidimos fazer porque a casa do Areeiro estava outra vez com uma ruptura de água. Em Campo de Ourique engravidámos, num Setembro quente, e em Julho nasceu o nosso "gordinho". Já contávamos com 3 anos de casados e nenhuma experiência nisto de sermos pais. Veio um bebé difícil que chorava por tudo e por nada, eu trepava às paredes enquanto tu me davas alguma calma. Eu dormia enquanto tu te levantavas de noite para lhe dar colo e leite. Foste o melhor pai desde o minuto zero, e ao fim de 5 anos continuas a sê-lo. 

Ao fim de um ano decidimos que queríamos outro, e o resto já sabemos como foi, hoje não é disso que se trata, porque como dizias ontem, valeu a pena, de outra forma não teríamos o bebé Matias, mas outro qualquer. Ao fim de 8 anos, somos mais pais que namorados, passamos o tempo em picardia, que considero normais, e com muito sono sempre à mistura. Mas no final o que conta, é que tu és meu e eu quero isso, gosto disso, e não saberia viver de outra forma. És o meu amigo, o melhor pai, o meu marido. Que venham outros 8 e outros tantos de seguida, que a vida renove os sonhos, os nossos e os deles.