Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

18.Jul.19

Quinta da Comporta

Toda a Comporta me encanta, as praias, os restaurantes e as pessoas que por lá passam. As histórias que se vão contando, as quintas, as festas que se deram, ou se dão ainda que mais contidas porque banqueiros falidos não se podem dar a muitos luxos, e a nova personagem que entra em cena o "Príncipe Jardineiro" (Louis Albert de Broglie). Tentei perceber os contornos desta compra, e ainda sem ter percebido porque as notícias param no tempo algures ali em Setembro de 2018, resolvi ir espreitar o Hotel que criou com a ajuda do Arquitecto Miguel Câncio. Sítio pretensioso, que poderá vir a valer cada cêntimo cobrado, aproveitámos o soft-opening enquanto os valores ainda são comportáveis. E rendi-me. Rendi-me a cada canto, a cada esquina, a cada pormenor decorativo. Rendi-me aos lençóis, almofadas e colchão. À decoração linda e pensada ao pormenor e as campos verdes dos arrozais de frente para a piscina e para o restaurante. Rendi-me à simpatia dos empregados, aos sabores do pequeno almoço e à carta do jantar. E voltei a render-me quando percebi que um hotel tão pretensioso e bom tinha um cunho de kids-friendly que muitas vezes não se vê neste tipo de hotelaria. 

Ainda bem que fomos e um dia quem sabe voltemos. Os valores agora são proibitivos (para nós claro) mas atrevo-me a dizer, que quem for, sentirá cada euro gasto como muito bem gasto.

17.Jul.19

Os terríveis 5 anos

Teimosia é a palavra de ordem. Olho para aquele ser de metro e vinte e pergunto-me de onde virá tantos quereres. Entre o teatro com direito a lágrimas sentidas que nos partem o coração, a amuos constantes, a gestão da frustração passou a ser matéria para aulas práticas. Aos 5 anos parece-me que já tem plena consciência dos medos que tem, já percebe o que é perder em braços de ferro paternais, sente saudades no verdadeiro termo da palavra, tem prazer genuíno com certas comidas e é um verdadeiro adolescente infantil. 

Todos os dias são uma luta parental nisto de gerir estas emoções de teenager, no corpo de um menino acabado de ser bebé. Tento explicar-lhe o sentido da palavra "não" a cada realidade concreta em que a uso, para que ele entenda o porquê das coisas. Tento dar-lhe mimo mesmo quando já não o quer, porque a mãe é uma seca e a culpada de todos os males do mundo (dele). Tento ser paciente ainda que muitas vezes lhe sacuda o pó da roupa. Tento ser menos protectora porque já percebi que cair faz-lhe bem, e basta que esteja lá só para dar uma mãozinha para ele se levantar. 

Será sempre o meu bebé, o menino dos olhos grandes, rezingão com saídas tão boas como as de esta manhã "Gordo quando é que paras de crescer?" e ele espreguiça-se no sofá, todo esticado e responde na sua voz meiga "quer parecer-me que estou com o mesmo tamanho de ontem mãe".

16.Jul.19

Quase de férias

E este ano onde vais Gracinha? Pois é, com a minha bucket list em "under construction", riscamos uma linha e vamos até Istambul. Contamos entrar na Mesquita Azul e na não menos admirável Basílica de Santa Sofia. Escolhemos ficar no The House Hotel Karakoy localizado na zona emergente de Karaköy, em Bankalar Caddesi, perto da zona boémia de Beyoglu e da zona histórica de Sultanahmet. Não sem antes fazermos um voo interno e ir até Bodrum só para uns dias de descanso, e nada mais no Six Senses Kaplankaya. 

Serão os nossos dias a dois, com crianças entregues aos avós maternos. Depois rumamos todos juntos até à costa Alentejana para uma terceira vez no Craveiral. É bom voltar a onde já fomos todos felizes. Espero que o Pedro tenha mantido aquele lugar com a simpatia, o bem servir e os pequenos pormenores intactos. Acabamos o mês numa ilha espanhola, só eu e o filho mais velho, em modo filho único e eu mãe super moderna que passa férias sem o marido, que infelizmente já terá regressado ao trabalho.

11.Jul.19

4 de Julho de 2014 - My number one

Há 5 anos, por volta das 07h30 do dia 4 de Julho, já estávamos na Cuf, tu com 41 semanas sem vontade de vir conhecer-nos, nós em pulgas por seres o nosso primeiro pequeno milagre, horas de indução que acabaram numa cesariana rápida, diz que estavas subido e com o cordão a atrapalhar. Olhaste com o teu ar rezingão que ainda hoje tens e mantiveste-te rabugento até aos 7 meses. A partir daí foi sempre a melhorar e hoje és o meu querido filho, aquele que me leva ao limite mas arranca as melhores gargalhadas de mim. Aquele que me ensinou que isto de ser mãe é um fenómeno de amor crescente, uma preocupação constante, mas que tem tanto de duro como de gratificante. Parabéns meu rico filho pelos teus 5 anos. 

 

66121895_10156376186239080_6500728878498054144_n.j