Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

28.Nov.18

As marcas da Infertilidade

Em Janeiro de 2019 fará 3 anos desde o primeiro tratamento de fertilidade que fiz. No dia 26 de Dezembro o meu snow-baby fará 1 ano, bebé de laboratório da Ginemed. Foram dois anos de um caminho longo e pesado, que me deixou marcas físicas e psicológicas que ainda hoje se fazem notar. 3 cicatrizes (mínimas) na barriga de uma laparoscopia para remoção de um quisto ovárico de 5 cm e uma felicidade inocente perdida. Envelheci, tornei-me mais fria, e mais triste apesar de ter conseguido. Hoje já consigo estar 3 dias seguidos sem pensar neste tema mas continuo a pensar muito. Hoje sei que o meu caso era um dos fáceis porque havia motivo para não conseguir, e que as infertilidades "inexplicáveis" são muito mais difíceis de contornar. O tema interessa-me e toca-me e sempre que me cruzo com mais uma mulher "infértil" fico solidária e dou tudo de mim para poder ajudá-la. Porque é um dor tão solitária e tão difícil de explicar a quem não tenha passado por 20 testes de gravidez negativos. E apesar de ter o meu bebé nos braços continuo aqui, a ler todas as histórias daquelas que ainda não conseguiram, a sorrir pelas que conseguiram e a ouvir aquelas que sei que um dia também serão mães.

13.Nov.18

Os desenhos animados do meu tempo

Quem por aí dos anos 80 se lembra dos Ursinhos Carinhos? Do Babar (um rei elefante)? Das Aventuras do Bolinha ou do Ursinho Pooh?

E hoje o que temos do imaginário infantil para as mesmas idades (3, 4 anos?). Não sei se é por ter apenas rapazes, mas lá em casa apenas se vê o Ruca (um rapaz irritante e muitas vezes sem maneiras - o meu filho sempre que vê o episódio em que ele vai para a cama dos pais aparece no meu quarto a meio da noite a tentar a sua sorte), os Superwings (uns aviões que entregam encomendas em todos os pontos do mundo, um imaginário um pouco mais didáctico mas sem a fofura do Babar), a Macha e o Urso (uma menina super tirana que inferniza a vida de um urso fofinho) e a Porquina Peppa (estes talvez sejam os mais fofos, mas se calhar já abebezados para uma criança de 4 anos). Acho que falta este tipo de bonecos mais inocentes, carinhosos e do fantástico. Mães de meninas o que gostam elas para além da Princesa Sofia e Caracolinhos Dourados que são meninas e não bonecos do imaginário?

07.Nov.18

The Best Hotels in the World: 2018 Readers' Choice Awards

Já saiu a lista dos melhores 50 hóteis do mundo escolhidos pelos Readers' Choice Awards e há duas coisas a reter: não estive em nenhum deles, nenhum destes escolhidos fica em Portugal. 

Já vos disse que sou maluquinha por hóteis? Adoro procurar, ver fotografias e escolher destinos em função de onde vou ficar, mesmo que não passe lá tempo nenhum. Das nossas muitas viagens já tivemos em sítios com muito charme: 

- The Capital Hotel - Londres.

Grace Mykonos Hotel - Mykonos.

Santa Barbara Resort - Ilha de São Miguel.

Hotel Sharai - Fes. 

São Lourenço do Barrocal - Monsaraz

Land Vineyards - Montemor

 

Até somos pessoas viajadas, mas sem dúvida que os melhores Hóteis de 5* onde tivémos foram em Portugal. 

07.Nov.18

Da minha recuperação pós-parto

Passaram quase 11 meses desde que fui mãe pela segunda vez. Na primeira gravidez engordei cerca de 25kg, neste segunda cerca de 14kg. O tamanho de barriga foi semelhante mas a acumulação de gordura muito menor.

Assim que parei de dar de mamar (cerca de um mês e meio depois do Matias ter nascido) comecei a tratar de mim. Regressei aos poucos às minhas rotinas de treino com o meu PT, iniciei uma rotina de massagens e tratamentos não evasivos na Bodyconcept e fechei a boca. 5 meses após o parto por cesariana voltei à minha forma física habitual, 11 meses depois estou na minha melhor forma física de sempre. 

Este equilíbrio físico que alcancei, permitiu-me também uma estabilidade emocional que não tive da primeira vez. Sou uma mãe muito mais calma e uma mulher muito mais ponderada, passei a dormir melhor, o meu corpo voltou a funcionar por si só (depois de dois anos em shut down), ganhei massa magra, perdi massa gorda e fiquei mais feliz. Regulei a minha insulina e saí daquela zona escura em que estive 1 anos com atestado de pré-diabetes.

Acredito que se tratarmos de nós, com muito carinho e respeito, as descompensações hormonais, variações drásticas de humor atenuam-se muito. Olho para o espelho com orgulho, e não desisto. Mesmo após noites a fio acordada quer porque os meus filhos estão doentes, quer porque tenha de trabalhar, obrigo-me a ir ao ginásio, obrigo-me a não fugir da dieta mesmo que o meu corpo grite por açúcar. Os resultados demoram a chegar, mas quando os vemos queremos mais, e mais e mais. É um vício como outro qualquer, mas é saudável se não entrarmos em extremismos. 

Por muito que os meus pratos sejam sempre iguais, todos os dias durante semanas, meses, não fico enjoada. Estou a dar ao meu corpo aquilo que é o melhor para ele, trato dele como trato dos meus bebés, eles são a minha vida e o meu corpo a minha morada, que tem de estar bem, limpa e arrumada para que todos possamos estar em harmonia. 

6a29222a-be72-47bd-8549-c41c60a9c0f5.jpg

 

 

02.Nov.18

10 meses

10 meses desta Bola Gorda querida. 10 meses em que a 4 passou a ser ainda melhor. Este bebé é uma delicia, bem disposto, comilão, brincalhão, falador, refilão. Dorme bem na maioria das noites, quando acorda não consegue esperar mais do dois minutos para ter o leite em frente aos olhos, e adora, tal como o mano, fazer de pano da Vileda pelo chão. O que mais custa é vê-los a crescer e saber que mais dia menos dia volto a não ter um bebé em casa. 

24623ccc-cdb4-44b7-b45d-a72a9ce4ce20.jpg

52e9087a-3a88-43b1-bfea-1460876522df.jpg