Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

24.Abr.18

O mundo dos babetes

Aos dois meses e quando o peso do Matias teimava em não subir percebi que algo não estava bem. Apesar de ser um bebé bem disposto que comia bem, bolsava que era um disparate. Em jacto, logo a seguir a comer ou passado duas horas. 

O pediatra mandou mudar o leite para uma formula anti-refluxo e aguardar um mês. E assim fizemos apesar de a colecção de babetes ser gigante. 

Aprendi várias truques que partilho com vocês para quem tenha bebés com este problema:

- o bebé deve sempre arrotar na posição vertical e devemos mantê-lo nessa posição por mais de 20 minutos, o ideal é 1h (sim ouviram bem, 60 minutos)

- a fralda deve ser sempre mudada antes de eles comerem para não os deitar logo a seguir

- se por acaso fizer cocó a seguir a comer, paciência é aguentá-lo um pouco

- nunca brincar com eles na hora e meia a seguir a comer, se ele fizer sorrisos e arrufinhos, e sons fofinhos é ignorar, no passa nada

se quiserem levá-lo a passear ou esperam duas horas ou vão antes de ele comer, o que dado os intervalos que eles fazem vai dar ao mesmo

- ter um stock de 300 babetes disponíveis, proteger as nossas roupas com fraldas de pano ou assumir que andaremos com restos de leite seco nos ombros

- tentar respeitar os intervalos máximos mesmo que nos pareça que têm fome (quando choram temos tendência de achar que é logo fome e ir entupi-los com leite)

- reservar 3 horas da noite para alimentar, arrotar e mantê-los um pouco de pé

- dar o leite em biberão anti-cólicas daqueles com um furinho minúsculo para que não entre muito ar. Isto a juntar ao facto de as fórmulas anti-regurgitação serem mais espessas é contar com 50 minutos para beber o leite todo.

 

Hoje tenho um bebé a fazer 4 meses que já começa a ficar rechonchudo e com aqueles refegos que tanto gostamos, com tendência a assaduras. 

 

13.Abr.18

Vais tu ou vou eu

Tenho a sorte de ter um bebé que dorme bem, distingue o dia da noite mas é um relógio de cuco a comer. Faça chuva ou faça sol de 4h em 4h o rapaz dá sinal. Dá qualquer coisa como comer às 20h, à meia noite, às 04h ou 05h da manhã e depois novamente às 09h ou 10h. São 15 semanas a acordar durante a noite e são 15 semanas de inverno rigoroso e com o de 3 anos constantemente doente e a ir acordar-me às 07h ou antes até. Durante estes meses o meu marido deixou-me dormir um sábado até às 09h. Foi um luxo, um sábado. 

 

A isto junta-se aquela neura típica dos portugueses em tempo nublado. 15 semanas de licença em que não vi o sol, usei mais impermeáveis estas semanas que em toda a minha vida (sim já sei precisamos da chuva por causa da seca). Daqui a duas semanas começo a trabalhar e aposto que virá o sol em todo o seu esplendor, mas não acredito que o Matias durma mais que 5h seguidas. Mas pelo menos um dos meus problemas de pessoa caucasiana sedenta de vitamina D resolve-se.

11.Abr.18

Fomos andar de avião

Esta Páscoa resolvi marcar umas mini-férias em família. Marido, filho com 3 anos e meio e bebé com 3 meses. Gosto de aventuras e sentia-me incapaz de deixar o mais recente com quem quer que seja. 

Lá fomos para os Açores, São Miguel. A logística mais difícil é quantidade de tralhas que é preciso levar. Biberões, ninhos, latas de leite, mantas, fraldas de pano, fraldas, ovinho, rodas do ovinho, saco de dormir, para além das 300 mudas de roupa porque tenho uma super máquina de bolsados. A juntar a isto tudo, os brinquedos do mais velho, a mala do mais velho que não serve para nada a não ser para ele se passear no aeroporto. 

O hotel escolhido tinha de ter cozinha para umas refeições ligeiras e por causa da logística de lavar/ferver biberões. Mas de resto e porque o Matias é um bebé fácil correu tudo pelo melhor. São Miguel é super babyfriendly e os Açorianos uma simpatia.

O hotel, Santa Bárbara Resort apesar de ser mega romântico está super capacitado para receber crianças e bebés. A maioria dos hóspedes são estrangeiros e esses viajam sempre com os filhos.

 

79abcb85-e024-45d7-8ab6-c3e8875396e7.jpg

 

11.Abr.18

Ligação entre irmãos

Sou filha única, desconhecia este tipo de laços, mas é impressionante a doçura do olhar do Matias para o mano mais velho. O Henrique por sua vez é um super protector. E apesar de serem os dois pequenos parece que entendem o laço que os liga. Fico babada a olhar para este amor que não explica mas se vê tão bem.

f659fead-fad2-468a-9a99-bec5f666fa07.jpg