Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

04.Abr.17

O encantado mundo das provetas

Afinal percebi mal e o meu post anterior não estará claro.

Passo a explicar: existem dois tipos de protocolos nas Fertilizações in Vitro, um protocolo curto, em que o processo de estimulação, punção e transferência é feito no mesmo ciclo, e um protocolo longo, em que o processo de transferência é diferido para um ciclo a seguir e todos os embriões são vitrificados. 

Nos protocolos curtos, após a punção é expectável transferir os embriões a fresco entre o terceiro e o sexto dia, e só os embriões de muito boa qualidade chegam ao fim, a blastocistos. Nos protocolos longos, a mulher transfere num ciclo a seguir depois de ovular ou como no meu caso, quando as drogas fizerem efeito porque eu não ovulo. Nestes casos, os embriões que deixam para o fim são aqueles que são de pior qualidade e que à partida não chegam a blastocistos mas que também não iriam ser usados na transferência a não ser que a mulher não conseguisse outros de melhor qualidade. Caso evoluissem para esse estado então seriam congelados.

Então cadê os blastocistos, e é aqui meus amigos que a ciência nos surpreende. Não bastava fazerem tudo num tubinho, congelarem, prepararem o ninho, que ainda vão se dar ao luxo de descongelar 4 embriões, três dias antes da transferência e deixá-los chegar a blastocistos depois de descongelados. E espante-se, que quando são de qualidade A, os que não ficam pelo caminho, voltam a ser (re)congelados novamente. 

Assim fiquei a saber que no meu caso agora é aguardar que o meu período apareça, começar Zumenon e aspirina ao 2º dia do ciclo (parece que elevados níveis de estradiol aumentam as possibilidades de tromboses portanto nada como prevenir) e ao 10º dia avaliar o ninho e marcar transferência. Nessa altura descongelarão 4 e deixam outros 4 no friozinho à espera de igual uso. 

Claro que este processo só é possível nestes termos porque 1. eu não quero ter mais 8 bebes e 2. conseguimos muitos embriões de boa qualidade. 

04.Abr.17

Embriões

Contagem final feita de 8 embriões, 5 de categoria A e 3 de categoria B. Infelizmente não conseguiram que nenhum chegasse a blastocisto de 5 dias, pelo que agora se coloca que número transferir. Na minha cabeça estava já decidido que que caso conseguisse um blastocisto (embrião com 5 ou mais dias), apenas transferiria um, mas agora a coisa muda de figura. 

Por muito que não gostasse de ter uma gravidez gemelar acredito que as probabilidades de conseguir um teste positivo são maiores caso transfira dois embriões em vez de um. Ainda tenho cerca de um mês para decidir, mas dá que pensar.