Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

18.Jul.19

Quinta da Comporta

Gracinha
Toda a Comporta me encanta, as praias, os restaurantes e as pessoas que por lá passam. As histórias que se vão contando, as quintas, as festas que se deram, ou se dão ainda que mais contidas porque banqueiros falidos não se podem dar a muitos luxos, e a nova personagem que entra em cena o "Príncipe Jardineiro" (Louis Albert de Broglie). Tentei perceber os contornos desta compra, e ainda sem ter percebido porque as notícias param no tempo algures ali em Setembro de 2018, resolvi ir (...)
17.Jul.19

Os terríveis 5 anos

Gracinha
Teimosia é a palavra de ordem. Olho para aquele ser de metro e vinte e pergunto-me de onde virá tantos quereres. Entre o teatro com direito a lágrimas sentidas que nos partem o coração, a amuos constantes, a gestão da frustração passou a ser matéria para aulas práticas. Aos 5 anos parece-me que já tem plena consciência dos medos que tem, já percebe o que é perder em braços de ferro paternais, sente saudades no verdadeiro termo da palavra, tem prazer genuíno com certas (...)
16.Jul.19

Quase de férias

Gracinha
E este ano onde vais Gracinha? Pois é, com a minha bucket list em "under construction", riscamos uma linha e vamos até Istambul. Contamos entrar na Mesquita Azul e na não menos admirável Basílica de Santa Sofia. Escolhemos ficar no The House Hotel Karakoy localizado na zona emergente de Karaköy, em Bankalar Caddesi, perto da zona boémia de Beyoglu e da zona histórica de Sultanahmet. Não sem antes fazermos um (...)
11.Jul.19

4 de Julho de 2014 - My number one

Gracinha
Há 5 anos, por volta das 07h30 do dia 4 de Julho, já estávamos na Cuf, tu com 41 semanas sem vontade de vir conhecer-nos, nós em pulgas por seres o nosso primeiro pequeno milagre, horas de indução que acabaram numa cesariana rápida, diz que estavas subido e com o cordão a atrapalhar. Olhaste com o teu ar rezingão que ainda hoje tens e mantiveste-te rabugento até aos 7 meses. A partir daí foi sempre a melhorar e hoje és o meu querido filho, aquele que me leva ao limite mas (...)
14.Jun.19

Vícios

Gracinha
É oficial, sou viciada nos meus filhos. Eu, mãe desapegada de sempre, que sempre gritou aos 7 ventos que deveríamos sempre que possível fazer programas de adultos, a dois, namorar, sair, beber vinho, viajar, trabalhar até tarde quando preciso, passear sem carrinhos de bebés ou trotinetas. Eu, mulher independente do século XXI, que saí,  viajei que se farta no primeiro filho, city-breaks aqui, fins de semana românticos acolá, hoje não consigo desgrudar das minhas crias, e (...)
06.Jun.19

Alternativas à medicina convencional?

Gracinha
O caminho pode ser sempre feito ao contrário no que trata a procura de respostas. Podemos começar pela medicina convencional ou medicina alternativa, não interessa quando o que queremos é resultados. Também no campo da (in)fertilidade, acredito que o caminho não é certo, ou sempre o mesmo, o que resulta com umas não resulta com outras e todas sabemos que os casos mais complicados são os da chamada "infertilidade inexplicável". Depois de pedir ajuda no famoso grupo das mães do facebook para uma amiga que passou por vários tratamentos sem resultados em duas boas clínicas, deixo aqui neste espaço a lista de sítios que me pareceram mais capazes na abordagem (alternativa) deste assunto do "apoio à fertilidade". 
22.Mai.19

O quarto do segundo filho

Gracinha
No primeiro filho às 20 semanas já tinha o quarto prontinho, cama de grades com uma colcha bonita e paredes pintadas. Obriguei o meu marido a fazer umas riscas beges na parede, milimetricamente perfeitas porque não queria gastar dinheiro em papel de parede. Um quarto bonito e pronto a receber o primogénito com muda fraldas fofinho estrategicamente colocado.  Engravidei segunda vez e nunca fiz grandes planos para o quarto do Matias, fui buscar o berço do primeiro, coloquei no meu (...)
22.Mai.19

E nós?

Gracinha
Os filhos são o melhor de nós, todos os dias olho para eles e não consigo deixar de pensar na sorte que tenho por os ter. Todos os dias penso que não saberia viver com a perda de algum deles e que se isso acontecesse só prosseguia por causa do outro. Mas tanta coisa muda por causa deles, as rotinas estabelecidas, as correrias de todas as manhãs e os despertares sem excepção às 07h da manhã levam que andemos sempre cansados, irritados e sem paciência. Sinto-me não raras vezes (...)
07.Mai.19

A história da menina das pestanas

Gracinha
Ela já tinha sido casada, tinha estado grávida e perdido a bebé a dois dias do parto. Sim, com 40 semanas, depois de uma discussão mais acesa com o marido, em que a tensão disparou, o coração da sua bebé deixou de bater. Ela sentiu que algo não estava certo quando ao fim de umas horas não sentia a bebé a mexer. Deu entrada no hospital e teve o parto da sua bebé sem vida.  Recomeçou junto de um outro homem, veio para Portugal e foi aí que me cruzei com ela. Falávamos muito (...)
12.Abr.19

Do medo irracional

Gracinha
De morrer ... não sei precisar quando este medo começou, mas foi surgindo em pequenas paranóias, que depois eram exponenciadas ao máximo. Reflectiu-se em ataques de pânico que apareciam muitas vezes já deitada, começava na sensação de aperto no peito, falta de ar e depois aquela sensação de estar qualquer coisa de muito errada. Não raras as vezes o meu marido tinha de ficar ali ao meu lado até eu adormecer. Por várias vezes pedi que me acordasse durante a noite só para ter a (...)