Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

03.Nov.20

Está a ser um ano daqueles

Gracinha
O ano começou mal, o aborto, a espera pela expulsão em Janeiro. Depois veio Fevereiro, já mais composta mas com os meus medos a ficarem mais vincados, com os ataques de pânico novamente à espreita e com a obsessão pelas maminhas de novo em altas. Março trouxe o confinamento, foram 4 meses caóticos, eu em casa em teletrabalho, com um pico de trabalho daqueles, e os miúdos completamente passados da cabeça por estarem trancados. E Maio e porque andava paranóica, nova (...)
24.Jul.20

4 meses depois

Gracinha
Os dias passaram a semanas, mês e meses, e dei por mim sem escrever durante 4 meses. A vida mudou tanto nesta nova era, para pior, com muita certeza. Confinada em casa 3 meses com dois miúdos, e mais um mês com um (entretanto o mais velho voltou para a escola) tem sido de malucos. Sinto que começo a ceder, a perder as forças, a paciência, a cabeça. Adormeço muitas vezes a pensar que raio de vida é esta dos novos adultos deste século, que passam horas e horas a trabalhar, e 5 (...)
30.Mar.20

Arrumos

Gracinha
Arrumámos os saltos, as calças pretas e camisas engomadas. Arrumámos as chaves do carro, as malas de marca e o batom YSL. Esquecemos as correrias, os minutos contados e as horas extra. Esquecemos o trânsito, os passeios nas Amoreiras a seguir a um treino rápido no Holmes Place. Deixámos os PTs, os almoços do Vitaminas ou a marmita junto ao PC. Esquecemos as saudades dos miúdos, do sofá e das séries no Netflix. Deixámos de ser bombardeados por "parcerias" no instagram, e (...)
18.Mar.20

quatro paredes

Gracinha
Por aqui estamos fechados, os meninos e eu, o pai esse ainda sai para o trabalho. As horas passam mais devagar, ou não passam quando eles estão em modo lapa. A empresa fechou e o trabalho esse é assegurado à distância. Vou gerindo conforme consigo mas o que parecia importante ontem, hoje perdeu o sentido. As lojas fecham, os restaurantes fecham, os voos são cancelados. As compras on-line "crasham" porque os sites não estão preparados para tantos utilizadores. Vive-se neste sossego (...)
24.Fev.20

O fim de um ciclo

Gracinha
30 dias após a minha primeira visita ao Hospital dos Lusíadas, encerro mais um ciclo destes temas (in)férteis. O corpo recuperado, a cabeça tem dias. Dou por mim a pensar em coisas triviais como "não cheguei a ouvir o coração deste bebé". Mas siga em frente, acontece a muitas, não estou sozinha, diz que é uma em cada 7 mulheres já passou por algum tipo de aborto, e muitas por 2 ou 3. Dói, mas com dois pequenos em casa, o caminho é em frente. Do meu terceiro bebé, aquele que (...)
07.Fev.20

O aborto também é deles

Gracinha
Somos nós que sofremos o aborto, mas eles também perdem um filho. Nisto da maternidade o homem é posto de parte ainda. Ninguém Lhe ligou a perguntar como estava, como se sentia. E Ele estava triste, em baixo, tinha acabado de perder o seu terceiro bebé. Também ele nunca o chegaria a conhecer. E os que ligavam perguntavam, “e ela como está”?, “está a ser duro para ela?”. Eu própria me esqueci de perguntar, e sempre que ele tentava falar na sua expectativa que tinha deixado (...)
05.Fev.20

2 anos

Gracinha
Não sou daquelas viciadas em recém-nascidos, nem em bebés de 5, 8 ou 10 meses, nem acho grande piada confesso. Mas acho-os uma delícia quando começam a conseguir expressar-se, a dizer as primeiras palavras a caminhar como deve ser já sem tombos. Aos dois anos são ainda bebés, de mãos e pés sapudos, mas já se sentem uns crescidos, donos de uma razão cega, e de um mau feitio tolerável. As birras começam mais coisa menos coisa nesta altura, choram com toda a sua força quando (...)
03.Fev.20

Fevereiro

Gracinha
Que esta mês traga alguma tranquilidade. Detesto começar o ano com más notícias, inevitavelmente acabamos por associar sempre a anos maus. Tento desfasar-me dessa analogia, mas tenho medo. Sei contudo que não posso viver aterrorizada à espera do Mal a cada esquina. Gostava de um novo recomeço mas não sei por onde começar. Hoje estou melhor, é o primeiro dia em que me sinto normal. A sensação de ressaca passou, e já consigo não estar sempre a rever em modo filme os dias que se (...)
31.Jan.20

Tempo de recuperar

Gracinha
Mais do que tempo de recuperação, é preciso tempo para recuperar. E dizem que o tempo é o melhor amigo. Quem passa por isto perde a conta ao número de vezes que nos dizem que é super normal, que acontece, que estatisticamente as probabilidades aumentam conforme vamos tendo mais filhos. Quem passa por isto sabe que custa olhar ao espelho depois, que tivemos um bebé connosco, e que ele agora já não está. Sabe que custa o equilíbrio do corpo que passa de um estado "super hormonas" (...)
28.Jan.20

Vazia

Gracinha
No dia 24 à noite teria sido suposto fazer a indução do aborto em casa. De 23 para 24 não dormi, não me sentia capaz de fazer aquilo sozinha, o medo era demasiado grande, as dúvidas imensas. Como é que o meu corpo ia reagir ao Misoprostol, se já antes no meu primeiro filho quando me provocaram uma indução do parto com esse mesmo fármaco nada tinha acontecido? O que é que ia acontecer às minhas suturas uterinas (fruto de duas cesarianas) quando eu sabia que não induzem partos (...)