Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

De quanto tempo estou?

As contas para quem recorre a um fertilização in vitro são um pouco diferentes. Enquanto que numa gravidez espontânea os médicos contam as semanas a partir do primeiro dia da última menstruação numa transferência de um embrião criopreservado há que contar de maneira diferente. Vamos lá então:

- ao dia da transferência anda-se para trás os dias do embrião: se a transferência foi a 25 e o embrião é um blastocisto de 5 dias consideras como dia relevante o dia 20, se for de três dias consideras como dia relevante o dia 22.

- ao dia relevante retiras 14 dias, que é o tempo normal que ocorre entre o dia da menstruação (caso tenhas) e o dia da ovulação que neste caso corresponde ao dia relevante isto é dia da transferência, menos idade do embrião transferido. 

E tcharam, descobres assim o tempo de gravidez (aproximado) que será corrigido na ecografia das 12 semanas. 

 

 

Tec - Dia 4

Nada se alterou, não existem sintomas nenhuns, o que me leva a pensar que o meu lindo embrião não se adaptou a este novo meio. Não tenho forma de saber sem fazer algum teste mas o meu sexto sentido, apurado, diz-me que não foi desta. Resta-me manter a calma e esperar serenamente pelo dia do Beta HCG.

Tec - Dia 2

Não sinto nada de novo, mantém-se tudo como no dia antes da TEC, os enjoos já os tinha, fruto do Zumenon (estrogénio) e agora agravados pelo Projeffik (Progesterona). O meu blastocisto capa de revista tem 7 dias, e espero que já tenha esquecido o fresquinho da criopreservação a aprendido a gostar do calor como a sua linda mamã. 

Dizem que os dias pós TEC até ao Beta são vividos com muita ansiedade. Não lhe chamaria isso, acho que é mais curiosidade porque passa-se connosco, dentro de nós, mas não temos maneira de ver ou sentir. A minha rotina mantém-se inalterada, treino como sempre treinei, como como sempre comi e trabalho como sempre trabalhei. Acho fundamental para a nossa sanidade assumirmos que não estamos grávidas tal como uma mulher que engravida espontaneamente e só o sabe com 5 ou 6 semanas quando lhe falha a menstruação. 

Projecto Sonhos de Laboratório

No dia em que soube que o meu sogro me pagaria um primeiro tratamento, pelo preço tabela tal como referi aqui soube também que o dinheiro que já tinha equacionado gastar neste tratamento seria para usar para pagar um novo tratamento. Fiz então uma promessa a mim mesma: caso consiga um teste positivo, e a confirmação de que é um bebé saudável às 12 semanas, o valor de 3.500 euros que tinha destinado para mim, serão destinados para outra mulher, sem filhos, que não tenha capacidades comprovadas para recorrer ao serviço privado e já tenha feito alguma tentativa pelo SNS. 

Não sei ainda como vou processar isto, como vou escolher, sei que quero que a mulher que se cruzar no meu caminho tenha a sorte de poder ser seguida pela Dra. Ana Paula Soares na Ginamed. Porque foi lá que me senti menos infértil e mais humano depois de um processo longo e desgastante noutra clínica. 

Sei que quero ajudar mais alguém a conseguir o sonho de ser mãe. Eu já consegui uma vez, e tenho um sonho já em papel e outro ainda de laboratório, e espero um dia poder dizer que o meu sonho em papel também foi o dela graças a mim. 

 

Preparativos TEC III

Hoje foi dia de avaliar o estado do ninho e temos endometrio já a ficar fofinho com uns belos 9mm. Domingo vão descongelar os meus fofinhos e dia 26 fazemos a transferência. Decidi colocar apenas um embrião de 5 dias porque não quero arriscar uma gravidez gemelar. Caso não resulte então na próxima TEC pondero a transferência de dois minimeus.

Falei-lhe dos enjoos que sinto com o Zumenon e ela diz que é normal, então no meu caso que passei uma gravidez inteira a tomar nausefe ela diz que é mesmo caso para estar KO. Vale-me os nausefes todos que ando a tomar para ver se esta treta acalma. O mal é que pelo menos até ao dia do teste de gravidez tenho de manter estas doses de estrogenio. 

Preparativos TEC II

Continuamos em modo doses gigantes de estrogénio para preparar o endométrio. Começo a acusar alguns efeitos secundários típicos mas incomodativos. Aumentei 2kg de peso que associo à retenção de líquidos, tenho sistematicamente uma dor de cabeça ligeira que não mata mas mói e um ligeiro enjoo ao fim do dia. 

A venda da casa veio em boa altura porque ando entretida a ver casas e então nem sequer penso nestes assuntos inférteis. Conto ter novidades la para o final da semana que apontam, e caso não haja aquelas pedrinhas no sapato que o meu útero já nos habitou, fazer a transferência do embrião (ou embriões) no final da próxima semana. 

Preparativos TEC

Amanhã começamos nova ronda de Zumenon, 3 comprimidos dia e aspirina para evitar tromboses. A preparar o ninho. A palavra de ordem a partir de agora é tranquilidade. Não sei quantos dias faltam ao certo para a transferência, mas acredito que dentro de 20 dias já terei um mini-meu colado a mim. Espero conseguir a serenidade necessária a esta nova etapa. Dedos cruzados.

O encantado mundo das provetas

Afinal percebi mal e o meu post anterior não estará claro.

Passo a explicar: existem dois tipos de protocolos nas Fertilizações in Vitro, um protocolo curto, em que o processo de estimulação, punção e transferência é feito no mesmo ciclo, e um protocolo longo, em que o processo de transferência é diferido para um ciclo a seguir e todos os embriões são vitrificados. 

Nos protocolos curtos, após a punção é expectável transferir os embriões a fresco entre o terceiro e o sexto dia, e só os embriões de muito boa qualidade chegam ao fim, a blastocistos. Nos protocolos longos, a mulher transfere num ciclo a seguir depois de ovular ou como no meu caso, quando as drogas fizerem efeito porque eu não ovulo. Nestes casos, os embriões que deixam para o fim são aqueles que são de pior qualidade e que à partida não chegam a blastocistos mas que também não iriam ser usados na transferência a não ser que a mulher não conseguisse outros de melhor qualidade. Caso evoluissem para esse estado então seriam congelados.

Então cadê os blastocistos, e é aqui meus amigos que a ciência nos surpreende. Não bastava fazerem tudo num tubinho, congelarem, prepararem o ninho, que ainda vão se dar ao luxo de descongelar 4 embriões, três dias antes da transferência e deixá-los chegar a blastocistos depois de descongelados. E espante-se, que quando são de qualidade A, os que não ficam pelo caminho, voltam a ser (re)congelados novamente. 

Assim fiquei a saber que no meu caso agora é aguardar que o meu período apareça, começar Zumenon e aspirina ao 2º dia do ciclo (parece que elevados níveis de estradiol aumentam as possibilidades de tromboses portanto nada como prevenir) e ao 10º dia avaliar o ninho e marcar transferência. Nessa altura descongelarão 4 e deixam outros 4 no friozinho à espera de igual uso. 

Claro que este processo só é possível nestes termos porque 1. eu não quero ter mais 8 bebes e 2. conseguimos muitos embriões de boa qualidade. 

Embriões

Contagem final feita de 8 embriões, 5 de categoria A e 3 de categoria B. Infelizmente não conseguiram que nenhum chegasse a blastocisto de 5 dias, pelo que agora se coloca que número transferir. Na minha cabeça estava já decidido que que caso conseguisse um blastocisto (embrião com 5 ou mais dias), apenas transferiria um, mas agora a coisa muda de figura. 

Por muito que não gostasse de ter uma gravidez gemelar acredito que as probabilidades de conseguir um teste positivo são maiores caso transfira dois embriões em vez de um. Ainda tenho cerca de um mês para decidir, mas dá que pensar. 

 

Vitrificação

Ontem recebemos uma chamada logo pelas 09h da manhã a informar que dos 12 que fecundaram, 8 foram já vitrificados, 5 de qualidade A e 3 de qualidade B. Continua um de fora para chegar a blastocisto. Caso corra tudo bem teremos 9 mini-meus guardados para as próximas etapas. 

Sei que o caminho é longo ainda, que ainda tenho muita medicação pelo meio para preparar este útero que também teima em não conseguir fazer nada sem ajuda, mas dá-me algum alento pensar que pelo menos não terei de passar mais por processos de estimulações que são tão pesadas para nós. 

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D