Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

18.Set.17

Mudanças e um pouco de tudo

O fim-de-semana foi de mudanças. Casa nova, novo bairro, novo começo. Adorei viver em Campo de Ourique. É um bairro cheio de vida, mesmo no centro de Lisboa, é impagável. Com tudo à porta de casa, coisas a mais até. Sentimos vida naquelas ruas.  Miraflores não é assim, não é o centro, não há vida de rua (apesar de os moradores dizerem que há), mas a mudança tinha de acontecer. 

Empacotámos uma casa, uma vida de 6 anos de casados, feitos ontem de fresco mas sem comemorações e desembrulhámos neste novo lar. Foi duro, estou grávida, canso-me, enervo-me. Conheci pela primeira vez as minhas próprias limitações fisícas e emocionais, senti-me sozinha e esgotada. Estar casada não é fácil, muito menos depois de atravessar o cabo das tormentas durante dois anos. É verdade que carrego um bebé muito desejado, mas também é verdade que este sonho quase destuiu o meu casamento, e senão aconteceu é porque todos os dias eu e ele tentamos. Mas ele está um caco e eu, grávida e emocional. E ontem nas paredes despidas da casa nova senti medo da mudança. Queremos tanto tanta coisa que acabamos por não nos contentar com aquilo que já tinhamos antes. Já era mãe, vivia num bairro óptimo, com rotinas, horários e caminhos certos. 

E agora? O que vem depois da mudança? Que seja um pouco de tudo mas acima de tudo que esta sensação de estar casada com ninguém tenddo alguém ao meu lado desapareça e dê lugar ao conforto do dia-a-dia, em que o calor da rotina nos conforta e aquece ao contrário do que sempre achamos.

 

3 comentários

Comentar post