Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

Pós-Punção - Dia 1

Já tivemos notícias do laboratório, dos 18 ovócitos recolhidos, 5 não eram maduros, um perdeu-se e 12 fecundaram. Temos neste momento 12 mini-meus a lutarem por mais um dia porque todos os dias contam. Pelo que percebi, amanhã congelam dois ou 3, domingo mais 2 ou 3 e por aí em diante para conseguirem o máximo de blastocistos. Um blastocisto é um embrião com 5 ou mais dias (num máximo de 7) com mais divisão celular do que aqueles com menos dias. 

Os blastocistos, por terem essa maior divisão celular apresentam maiores possibilidades de implantação, já que conseguiram evoluir para um estado embrionário mais avançado, tendo também uma melhor sobrevivência nas condições fisiológicas do meio uterino. Fazer este prolongamento de culturas em laboratório só é possível quando existem alguns embriões porque normalmente neste processo de "jogar" com o tempo perdem-se alguns. 
 
Há muito não me permito celebrar nada, mas esta é a primeira boa notícia que recebo nos últimos dois anos. Manter-me-ei com os pés assentes na terra, mas hoje e só hoje permitirei-me sorrir. 

Fiv - Punção

Chegámos à Ginemed para a punção por volta das 08h30. A recolha seria às 09h. Não estava nervosa, apenas muito curiosa quanto ao número de óvulos que teríamos. Já no bloco a anestesista disse que me ia dar um pequeno aperitivo e puff, apaguei. O melhor destes processos todos que tenho passado é as drogas que vou experimentando e o estado Zen que elas me proporcionam.

Parvoíces à parte, conseguimos 18 ovócitos, número que me dá alguma esperança para as notícias de amanhã. O lado positivo dos ovários poliquisticos é este, muitos folículos que se desenvolvem. 

Amanhã saberemos quantos fecundaram, quantos estavam maduros, e os próximos dias serão assim. Agora vou continuar a aproveitar este estado calmo em que me encontro.

é já amanhã

Amanhã é o dia da punção. Tento manter a calma mas outros factores não ajudam. A vida continua a correr e parece que nada se adequa a que isto aconteça. Amanhã saberei quantos ovócitos conseguiram e sexta quantos sobreviveram a uma possível fecundação. 

Preciso de férias do mundo, do trabalho, de Lisboa, do meu marido. Amanhã é mais um dia em que vou estar à espera de qualquer coisa, o problema é que o dia a seguir será igual e o dia a seguir ao depois de amanhã também. 

Preparativos Fertilização in Vitro III

E fechamos este ciclo com uma contagem final de 17 ovos de dimensões já boas para administrar Pregnyl já esta noite. A punção será feita quinta-feira pela manhã e depois é cruzar os dedos para que dos 17 alguns fecundem. Para além do Pregnyl inicío esta noite o Dostinex que é uma profilaxia para a hiperestimulação (que por acaso também usei para secar o leite da minha primeira gravidez e tem uns efeitos secundários medonhos). 

Caso haja fecundação de um ou mais óvulos, todos serão vitrificados e vamos dar um descanso ao corpo de um mês. Se tudo correr sem percalços, no inicio de Maio estarei a transferir um mini-meu. 

Preparativos Fertilização in Vitro II

Hoje foi dia de avaliação dos meus ovários. Temos 16 ovos na corrida, mas a crescerem a um ritmo mais lento que o esperado. Mudamos de Gonal-F para Menopur e começamos amanhã nova droga pela manhã - cetrotide. Uma injecção de cetrotide de manhã e uma de Menopur à noite. 

Vieram também as análises pedidas e tenho um pequenito problema, uma hipófise preguiçosa ou Hipogonadismo, o mesmo é dizer aquilo que já sabia, o meu corpo não produz hormonas e está cada vez pior e mais parado. Efeitos práticos, não posso levar Decapeptyl porque não contém LH, tenho mesmo de levar Pregnyl com o risco associado de hiperestimular. 

 

O que é Cetrotide?

O Cetrotide contém uma substância chamada “acetato de cetrorrelix”. Este medicamento impede o organismo de libertar um óvulo dos ovários (ovulação) durante o ciclo menstrual. O Cetrotide pertence a um grupo de medicamentos chamado “hormonas anti-libertação de gonadotropinas”. O Cetrotide é um dos medicamentos utilizados durante as “técnicas de reprodução medicamente assistida” para ajudar a doente a engravidar. Impede a libertação imediata dos óvulos. Se os óvulos forem libertados antes do tempo (ovulação precoce), poderá não ser possível ao médico proceder à sua colheita.

Preparativos Fertilização in Vitro

Continuamos a preparar a FIV mais propriamente a estimular os meus queridos ovários. Passei ontem para a segunda caneta de Gonal F, dose diária 225. Hoje foi dia de avaliar o estado dos meus ovários e está tudo a correr dentro da normalidade, muitos folículos a quererem crescer mas que ainda não têm o tamanho pretendido. Continuamos mais três dias de injecções e sexta avaliamos. 

Segundo a médica lá para a terça ou quarta-feira se tudo continuar assim estarei pronta para a punção. 

Estado de espírito - calma total

Drunfos - zero

Copos de vinho - zero

O preço da infertilidade

Nunca me passou pela cabeça recorrer ao sistema nacional de saúde neste processo todo. Não por não querer esperar, já estou há quase dois anos nisto, mas porque sempre considerei que estaria a tirar a vez a alguém que poderia precisar mais do que eu. Claro que esta opção é porque posso pagar e é muito mais cómoda, não vou ser hipócrita. 

Recorrer a uma clínica privada implica ter alguma disponibilidade financeira de imediato porque os valores não são muito simpáticos. No meu caso, e já para este tratamento que iniciei os valores rondam o que segue:

- mais ou menos 250 euros em medicação indutora;

- 3490 euros pela FIV em si (que inclui todas as consultas, ecografias, punção, transferência, beta hcg);

- 240 euros pelo facto de a transferência não coincidir com o ciclo da punção;

- 425 euros caso sobrem embriões de todo o processo e eu queira mantê-los por 4 meses.

Caso o resultado seja negativo e por cada repetição do processo pago 1400 euros a cada ciclo de tentativa até esgotar o número de embriões. 

 

Este é o preço da minha infertilidade para este mês... não sei quanto gastei nos últimos meses entre estimulações, coitos programados, consultas, operação, medicamentos, optei por não somar e não fazer contas, porque enquanto conseguir e enquanto for esse o sonho, pago. 

 

A B C

Algumas considerações

A Fertilização in Vitro inicia-se com medicamentos injectáveis, indutores de ovulação originando uma maior produção de folículos (óvulos) que o habitual. Através do controlo ecográfico o médico vê a evolução dos ovocitos e quando estes adquirem o tamanho ideal é administrado outro injectável cuja função é provocar a libertação dos ovócitos. Após 36h da injecção os óvulos devem ser recolhidos através de punção e nesse mesmo dia é recolhido o esperma do homem. Após estes dois processos e em meio laboratorial os óvulos são postos em contacto com os espermatozóides para que a magia aconteça - a fecundação e a consequente formação dos embriões. Normalmente os embriões são transferidos entre os dois a três dias após a fecundação podendo, caso haja condições para isso chegar aos 5 dias. Os embriões não usados neste processo podem ser utilizados pelo casal num ciclo a realizar posteriormente (TEC), podem ser doados à ciência ou a outros casais ou podem ser destruídos. 



TEC

Voltámos hoje à Ginamed já com a convicção que não existe outro passo que não este. A médica concorda. Ao fim de 15 meses num entra e sai de consultas, com operações pelo meio iniciamos hoje uma nova fase de tratamento para preparar e fazer uma TEC (transferência de embriões criopreservados) em ciclo "natural".

Hoje começamos com uma dose de 225 ml de GONAL e terça avaliamos a resposta ovárica. O objectivo é conseguir o máximo de óvulos possíveis para que sejam fecundados em laboratório. Como tenho SOP e um risco acrescido de hiperestimular o injectável que vão usar para que a ovulação ocorra é o Decapeptyl. Este injectável não deixa o útero em condições muito favoráveis para a implantação do embrião e por isso opta-se por se transferir num ciclo a seguir. 

Começa uma nova fase de esperas, consultas, ecografias, medicamentos para indução, medicamentos para impedir a ovulação e medicamentos para ovular. Quando tudo estiver favorável é feita a punção, 38 horas após o Decapeptyl e a recolha de esperma. 

Ao fim de 15 meses em salas de espera e 19 meses a tentar o meu segundo começo um novo caminho. E só peço que este seja mais curto que os outros que me trouxeram aqui.

a dor de mais uma falha

O Beta HCG, análise ao sangue à hormona da gravidez, estava marcado para hoje. Não foi preciso fazê-lo para saber resultado, ontem à noite, quando ia fazer o Progeffik apercebi-me que me tinha aparecido o período. 4 meses após a nossa primeira consulta na Ginamed tenho novamente um negativo. Como sempre não chorei, não derramei uma lágrima, estou cada vez mais fria em relação a tudo, perigosamente fria. 

A análise estava marcada para hoje, porque ingenuamente acreditei que poderia dar esse presente ao meu marido que faz 35 anos. Queria fazer-lhe uma surpresa e acabo por estragar o dia de todos. Ter de celebrar quando só nos apetece enfiar na cama com um alprazolam no bucho não é fácil.

Mensagens

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D