Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

Carta de Amor

Ainda não tinhas 27 anos quando te conheci, hoje fazes 34. Fascinou-me a tua maturidade, meio rapaz meio homem, os olhos azuis profundos e as mãos perfeitas. O primeiro encontro foi algo "esquisito", estavas com os copos e eram 20h, fui-te buscar à porta do trabalho.  Achei tudo estranho mas percebi que te juntavas ao fim do dia na tasca da esquina mais próxima com os colegas. A bizarria não me afastou e deixou-me ainda mais curiosa, e foi um pulo até estarmos a namorar. Casámos passados dois anos e meio e foi um passo mais que acertado. Não quisemos ter logo filhos porque queríamos namorar e aproveitar. Bebemos juntos, dançámos juntos, ressacámos juntos, namorámos muito, ganhaste um concurso e fomos a Miami com esse dinheiro. Tivemos a nossa despedida de solteiros em Marrocos e levámos o gordo ainda na barriga à Tower Bridge. Fomos ver os cisnes ao Lago di Como e à ópera em Budapeste. Namorámos em Mykonos já como pais e palmilhámos Paris ainda solteiros. Metemo-nos num avião com um bebé de dois meses e fomos dizer olá ao teu avô em Stuttgart, à vinda parámos em Munique e encantámo-nos com a cidade. Fomos a Roma ver o Papa, recém-casados como que uma bênção e aproveitámos para ir à Sardenha em lua-de-mel. Comprámos uma casa juntos e fizemos a mudança no dia mais quente do ano num Smart. Só tínhamos uma cama, um sofá e a cozinha equipada, e muitos sonhos. Sonhos que se foram concretizando e sonhos que ainda enchem as divisões vazias mas tão cheias de projectos.

Parabéns querido Husbie. 

 

34anos.jpg

 

Nova droga no pedaço

Temos nova droga prescrita, e esta é injectável e tudo - PUREGON.  Nome bem queridinho. Fora de brincadeiras, o anterior medicamento, testado em 3 ciclos (fingidos, porque eu não os tenho) não funcionou comigo e portanto toca de mudar a estratégia. Por isso é muito importante sermos bem acompanhados por médicos da especialidade, porque aquilo que funciona comigo pode não funcionar com outra mulher qualquer. Importante também é todo o processo ser levado a cabo com uma vigilância apertada pois trata-se de pura manipulação hormonal e as coisas nem sempre correm como esperamos. Mas acima de tudo e como já vem sido hábito, descontracção é o mais importante, há quem ache estranho eu nunca perguntar nada "e depois disto sr. dr.? o que vem a seguir?". Não quero saber, um dia de cada vez, uma ecografia de cada vez, e sem muitas esperanças, neste processo aprendi que o melhor é ter a expectativas muito em baixo, dói tão menos. 

Socorro! é fim-de-semana (II)

Nota mental: nunca mais fazer publicações destas a uma sexta-feira. Fui castigada, cheguei a casa e tinha um bebé super constipado e cabisbaixo. Tinha combinado com a Isa ir à praia com as gémeas mas tal como disse: nunca fazer planos ou fazê-los com quem  tem filhos e percebe. A noite de sexta-feira foi assustadora mas eu e o husbie dividimos o mal e a coisa até se fez. O pouco que dormiu foi encostado ao meu peito sempre em modo choramingas. A mistura explosiva é doenças mais birras! Um bebé doente e em fase de birras (daquelas que sempre olhámos de lado nos outros tipo atirar-se para o meio da calçada portuguesa em pleno Jardim da Parada) é de rezar a todos os santinhos que chegue a segunda-feira. E hei-la! Boa semana pessoas sem filhos. 

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D