Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estado de (des)Graça

todas sabemos que a gravidez é um estado de graça.

17.Dez.13

a facilidade de engravidar

Enquanto para umas é logo à primeira, ou num esquecimento da pílula ou numa tomada de antibiótico ou porque o coito interrompido não funcionou, para outras é preciso pontaria.

 

No primeiro mês de tentativas nem nos aborrecemos, no segundo ficamos apreensivas, ao terceiro começamos a ficar obcecadas. Confesso que a minha obsessão começou por volta de Junho e agudizou-se nas férias em Agosto. Não vou dizer que aconteceu quando eu menos pensava no assunto porque estaria a ser hipócrita, não relaxei, nem desliguei um único mês a partir do momento em que comecei a tentar. O mês em que engravidei (Outubro) não foi excepção. A única diferença desse mês é que resolvi ir queixar-me ao médico. Mandou-me fazer análises hormonais porque os meus ciclos estavam a ser demasiado longos (uma mulher normal tem ciclos de 28 dias, ovula ao 14º - janela de oportunidade) chegando aos 50 dias. A diferença das mulheres com ciclos como os meus, para as que têm ciclos normais, é a dificuldade em acertar nos dois dias do período fértil. Completamente às escuras só tinha duas hipóteses: ou mantinha relações todos os dias com o meu marido durante 50 dias (o que não era possível porque ele só possa uma semana por mês em casa) e diga-se que deve ser uma canseira, ou tentava ter pontaria. Em Setembro resolvi experimentar uma terceira via. 

3 comentários

Comentar post